Parafusos, Zumbis e Monstros do Espaço, uma Graphic Novel



Dolfilander (Rastros de Ócio, A Pequena Jubarte) e Wilson (O Fantástico Mundo do Dr. Jack, Monstros Ectoplasmático da Dimensão Medo) estrelam essa comédia eletrocutante - uma aventura repleta de ação, drama, romance, vingança, sangue, tripas e fraturas expostas que você não vai conseguir esquecer. Após um acidente envolvendo um parafuso, o anti-herói Dolfilander entra numa espiral decadente de alcoolismo, sexo anônimo e edições raras de revistas alemãs de bondage, até que subitamente é transformado num super-humano capaz de partir crânios com as mãos e comer impressionantes 30 hambúrgueres em menos de uma hora. Fritas incluso.


               Fiquei tentada a adquirir Parafusos, Zumbis e Monstros do Espaço após a forte recomendação de um amigo, e semana passada o autor da graphic novel, Juscelino Neco, esteve na minha cidade com a turnê de lançamento seu trabalho. Não pude deixar de ir lá garantir o meu.
                O autor estava desenhando zumbis enquanto dava autógrafos e atendeu ao meu pedido de fazer o Tim Drake zumbificado. Olha que legal:
                Parafusos, Zumbir e Monstros do Espaço conta a história de Dolfilander (Dolfi), um homem viciado em cultura pop que abandonou a faculdade de jornalismo para se dedicar a escrever o seu romance de ficção-científica. Mas nada deu certo, e Dolfilander acabou trabalhando em um almoxarifado, onde um acidente ridículo com uma pistola de pregos enfiou um parafuso na sua cabeça. O herói (anti-herói) passa por uma fase difícil em que se entrega ao álcool e pornôs japoneses, até o dia em que vai para um motel com uma tremenda gata e acorda no outro dia uma banheira cheia de gelo. Logo ele pensa que roubaram os seus rins, mas há um homem lá para explicar a verdade: uma cobaia de um laboratório, hibrido de mulher e aranha, havia usado o seu corpo para depositar os ovos! Depois do choque, de uma mulher cheia de piercings e de muitas cirurgias, Dolfi inicia a sua carreira como super-heroi à combate do crime. Mas há algo de muito suspeito naquela organização secreta...

                A arte da graphic novel lembra Retalhos, de Craig Thompson, e mesmo Scott Pilgrim, de Bryan Lee O'Malley. Os desenhos simples, limpos e em preto e branco, deixam o destaque para a narração dos eventos extraordinários e os diálogos cômicos, sarcásticos e às vezes ridículos. A história é bastante rápida de ler, sendo possível ler todo o livro em vinte minutinhos, e o roteiro de Juscelino flui com clareza e objetividade, sendo confortável e divertido de acompanhar.
                O trabalho da editora é caprichoso, as páginas são amareladas e a impressão não deixa a desejar em nada. Além de adquirir uma boa história, leva-se para casa um livro muito bem feito. A capa com detalhes em verniz é uma obra de arte à parte.

NOTA:



Comente com o Facebook:

2 Comentários

  1. Lunara says:

    Por ser em quadrinhos acredito que funcione, se fosse só narração eu acho que não me chamaria atenção. Vou coloca-lo na lista de quadrinhos a adquirir, por causa da sua recomendação.

  2. Adorei! não conhecia o trabalho, mas fiquei curiosa, zumbi é uma temática q me encanta s2 gosto mto de roteiro que fluem, recomendação anotada
    um abraço linda!
    Pan
    http://pansmind.blogspot.com.br/

Deixe um Comentario.

Parceiros

Parceiros

Divulgue

Escolha uma das imagens e seja nosso parceiro!

Tweets