Resenha #24: Presságio - O Assassinato da Freira Nua

               Não sei por que demorei tanto pra ler esse livro (mentira, sei sim -q), mas me arrependi amargamente por não ter lido o quanto antes. O livro é simplesmente fodástico. Um romance policial, um thriller sobre um serial killer que mata freiras. A escrita do autor é simplesmente angustiante, de uma forma positiva. Meu terceiro livro policial e com certeza o meu favorito entre os três! Já falei do livro aqui, vejam a sinopse abaixo e logo em seguida minha resenha. 


Alice tem 26 anos e, desde a adolescência, é atormentada por presságios. Desacreditada por psiquiatras, ela é considerada psicótica, até que uma de suas visões a possibilita desvendar um misterioso homicídio. A polícia atribui a autoria do crime ao Beato Judas, um assassino serial de freiras, mas a descrição do suspeito não se parece em nada com o homem que ela viu em sua premonição. Agora, Alice terá de correr contra o tempo para provar que não é louca e para evitar que o assassino faça uma nova vítima. Suspense, misticismo e sensualidade se misturam neste fantástico thriller policial que parece ter a capacidade sobrenatural de manter seus leitores alucinados da primeira à última página.




Nota:


               O livro já começa de uma forma eletrizante. Uma equipe da policia investiga o assassinato de uma freira que foi encontrada estuprada e morta (dã?). Paralelamente a isso temos Alice, uma jovem que tem o dom de ver o futuro... Quando tem um orgasmo. Ok, tenho que admitir que ri muito na primeira vez que li isso hahah Tipo, What? Mas enfim... Alice é uma jovem normal, que mora com sua amiga e acredita ter esse dom do Presságio, mesmo que todos os psicólogos digam que ela é louca. 
               Acompanhamos a história se desenrolar, o Delegado Danilo Matias tentando resolver o caso da freira nua e temos Alice no outro POV tentando entender seu dom. Até que as duas histórias se juntam. No dia 13 de Julho (hoje hahaha) Alice vai á uma festa, regada de drogas, sexo e bebidas, e lá vê, através de um presságio, outra freira sendo assassinada. Na verdade era só uma jovem fantasiada de freira, mas o que assusta Alice é o fato dela ser assassinada por um cara vestido de Diabo, e o pior, só Alice lembra de ter visto esse cara na festa.
               Logo a polícia liga os fatos e deduz que a morte da jovem fantasiada de freira é culpa do mesmo assassino da freira que foi encontrada dias antes, pronto, tudo lindo. Mas Alice sabe que não foi o mesmo assassino e fala pra polícia, mas ninguém acredita e diz que ela não tem provas. Sendo assim, Alice resolve investigar o caso e encontrar o tal Diabo da festa por si só, um grande erro em minha opinião.
               A partir de então o livro toma um fôlego contagiante, que me prendeu até o fim. Diferente de muitos outros livros, Presságio é concreto, é amarrado. O autor não deixa nenhuma ponta sem nó e mesmo que aparentemente tenha deixado, vem a última página juntar os nós que faltavam. O autor usou de narração em terceira pessoa e em múltiplos POVs, mostrando assim que a história não tem um personagem principal (apesar de ter rs), mas sim que necessita de todos para fazer sentido. Ele usa de uma escrita concreta, simples, decidida, com frases curtas, mas impactantes para nos mostrar o que está acontecendo. Outra coisa que eu gostei na narração é ambientada em Natal-RN, que tive o prazer de visitar ano passado e ao ler sobre alguns lugares, deu pra imaginar direitinho a situação.
               Os personagens, ah, os personagens. TODOS, digo, todos mesmo são fantásticos. Mesmo os que tinham uma fala, falavam de uma forma concreta, sucinta, relevante. A evolução de Alice durante o livro é fantástica, ela passa de uma garota normal á uma super detetive. Alice me cativou desde as primeiras páginas, me assustou em algumas, me fez sentir pena dela em outras, simplesmente contagiante. O livro te segura de uma forma e a cada segredo revelado um novo é mostrado, fazendo com que o leitor queira devorar o livro, o que aconteceu comigo. 
               O final é simplesmente surpreendente. Depois de muitas reviravoltas, nem tão positivas assim na vida de Alice, ela se encontra numa situação completamente difícil, não vou falar por ser spoiler. E quando, nas últimas páginas, o assassino, o causador de tudo é revelado, através de um presságio de Alice, sua boca cai. É simplesmente algo que eu não pensei em momento algum. A forma que o autor esconde o verdadeiro assassino é fantástica, ele nos faz pensar o livro todo que o assassino são outras pessoas, mas no final não é ninguém que ele disse antes. 
               Esse livro é fantástico, aconselho a todos que leiam, leiam e aproveitem essa incrível história. Quero agradecer ao Leonardo por ter cedido o livro para mim, foi uma grande honra lê-lo.

Comente com o Facebook:

Comentários

  1. Adoro livros que tem múltiplos POVs, acho que ajuda o leitor a entender melhor os fatos. Os livros do meu autor favorito, Harlan Coben, também são desse mesmo jeito. Não há um personagem principal, todos eles tem a mesma importância na história. Fiquei muito curiosa para ler esse livro!

    Um beijo, Karine Braschi.
    Geek de Batom. (@geekdebatom)

Deixe um Comentario.

Parceiros

Parceiros

Divulgue

Escolha uma das imagens e seja nosso parceiro!

Tweets