Faixa a Faixa #4: Conventional Weapons


             E aqui estou eu, roubando a coluna de Pablo para fazer mais um Faixa a Faixa. Desta vez, sobre uma de minhas bandas favoritas: My Chemical Romance, que mantenho na minha playlist desde 2007.
            Como todos os que ouvem a banda já sabem, o MCR mudou radicalmente o seu estilo para o quarto e mais recente álbum da banda, “Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys”, lançado em 2010. Para ele, alguns pôsteres da anunciaram: “My Chemical Romance are back, this time in colors!” (My Chemical Romance voltou, agora em cores!) – pessoalmente apelidei essa fase de DESTROYA. A frase, que brinca com o fato de nos três álbuns anteriores (“I Brought You My Bullets You Brought Me Your Love”, 2002, “Three Cheers For Sweet Revenge”, 2004, e “The Black Parede”, 2006), a banda se vestia exclusivamente com preto e branco, exceto por acessórios vermelhos, o que na época a fez ser conhecida como uma banda de emocore. Como tudo indicava – até o cabelo de Gerard Way ficando colorido – o MCR entrou em uma nova fase em sua carreira.
            Ouvi Danger Days pela primeira vez e odiei. Achei que as músicas eram pop demais, que faltavam os berros, a euforia e a energia dos outros álbuns. MÃS, ouvindo mais vezes (passei um mês inteiro ouvindo o álbum repetitivamente), passei a gostar, e muito!, do estilo novo.
            Ainda em 2012, a banda anunciou que lançaria as músicas que não entraram em Danger Days em um EP. Todos os meses duas músicas foram lançadas na rede, e nesse mês (fevereiro de 2013) o EP finalmente está completo. Com 10 músicas, sinceramente, para mim isso é um CD. Mas vamos lá.
            As músicas não são realmente novas, apesar de só estarmos conhecendo elas agora. Foram todas gravadas em 2009.
            Confira a lista:
Em 30 de Outubro, foram lançadas:

Em 23 de Novembro, foram lançadas:
4 Gun

Em 18 de Dezembro, foram lançadas:

Em 8 de Janeiro, foram lançadas:
Em 5 de Fevereiro, foram lançadas:

Conventional Weapons é um álbum bastante diversificado. Reúne músicas que lembram bastante a primeira fase da banda, como Burn Bight, Surrender the Night e The World is Ugly, e outras que se encaixariam perfeitamente em Danger Days, como Tomorrow Money (essa tem os berros lindos do Gerard! <3 senti falta deles), Make Room!!!!, Kiss The Ring, etc.
Mesmo as músicas mais chatinhas do álbum, que são Ambulance, Gun, The Light Behind Your Eyes e Surrender The Night, os refrãos são poderosos, explosivos, e tem aquele toque eufórico de MCR que nenhuma outra banda sabe fazer. No geral, Conventional Weapons é um bom EP e reúne músicas bastante agitadas – pois é, mesmo as músicas tristes do MCR são agitadas. Make Room!!! é a música mais animada de todo o álbum, e faz uma brincadeirinha com Danger Days. O “everybody wants to save the world, but no one wants do try”, da música Na Na Na, virou o refrão: “everybody wants to change the world, but no one wants do DIE!”.

Pirando muito nessa caixa D:

Melhores faixas:
Boy Division, que mescla os dois estilos da banda e já começa com uma explosão de guitarra. Meu fone de ouvido estava no máximo quando a coloquei para tocar e quase fiquei surda, -q
The World is Ugly, impossível não ficar com o Gerard cantando “the world is ugly but you’re beautiful to me” na cabeça.

Não curti achei ofensivo:
Não há nenhuma música muito ruim no EP, mas
The Light Behind Your Eyes é uma música chatinha, comum, uma das mais descartáveis da banda, só fica boa depois dos primeiros dois minutos.

Ah, e a voz do Gerard Way continua impecável.

Nota:

Renata Nolasco.

Comente com o Facebook:

Comentários

  1. Adorei as faixas. Não é a pegada de antes, mudou um pouco, mas o trabalho deles continua excelente. E o Gerad Way como sempre, fodão com sua linda voz *__*

Deixe um Comentario.

Parceiros

Parceiros

Divulgue

Escolha uma das imagens e seja nosso parceiro!

Tweets